11/12/2018 16h13

Quatro anos de luta e Escola Sem Partido é arquivada na Câmara dos Deputados


No dia 11 de dezembro, depois de doze sessões consecutivas, a comissão da Câmara dos Deputados encarregada de analisar o Escola Sem Partido (ESP) encerrou os trabalhos sem ter conseguido votar o relatório do deputado Flavinho. No total, onze projetos de lei tramitavam em conjunto e agora serão arquivados. Podem ser retomados em 2019, mas terão que começar tudo de novo. O mais antigo (PL 7.180) foi apresentado em 2014, no início desta legislatura.

A sessão do dia 11 foi encerrada às 13h40. O presidente da Comissão, Marcos Rogério (DEM/RO), afirmou que não será convocada mais nenhuma sessão e criticou a ausência dos deputados favoráveis à proposta. No final, elogiou o empenho da bancada de oposição, que lutou até o fim e conseguiu barrar a tramitação.

De fato, os deputados contrários à proposta tiveram uma participação excepcional durante todo o tempo, principalmente a partir do final de outubro, quando a votação foi retomada. Apesar de minoritários, tinham a vantagem de conhecer bem o regimento e a disciplina para não arredar o pé das sessões em nenhum momento. Com isso, conseguiram obstruir a votação.

O que será arquivado

Estavam em discussão na Comissão Especial da Câmara dos Deputados onze projetos de lei diferentes, mas que tratavam do mesmo assunto. O PL 7180/2014, do deputado Erivelton Santana (PATRI/BA) encabeçava a longa lista de proposições por ser o mais antigo.

O relator da Comissão, deputado Flavinho (PSC/SP), apresentou uma proposta substitutiva que deveria ser votada agora. Se aprovada, o substitutivo seria adotado como projeto de lei da comissão e seguiria para votação no Plenário da Câmara, mediante requerimento dos deputados. Se aprovado na Câmara, seguiria para o Senado.

Como a atual legislatura está se encerrando e os projetos de lei não foram votados, eles devem ser arquivados. Entretanto, poderão voltar em 2019 mediante requerimento de seus respectivos autores. Se um deputado não tiver sido reeleito, o desarquivamento do seu projeto de lei poderá ser pedido por um outro parlamentar cuja proposição esteja tramitando em conjunto.

A luta continua

A luta contra o Escola Sem Partido ganhou maior visibilidade agora, mas não é nova. No Congresso Nacional, mobilizou entidades, grupos, redes e parlamentares durante toda a legislatura, nos últimos quatro anos. Esse trabalho recomeça em 2019.

A luta vai recomeçar em 2019 em circunstâncias até mais difíceis, mas agora é hora de celebrar. Neste momento, cabe agradecer profundamente os deputados contrários ao ESP que eram membros da Comissão e resistiram bravamente para barrar a votação.

todas as notícias
|17.07.19 - 3ª Oficina de preparo vocal será realizada em 27 de julho no SinproSP
|16.07.19 - Sua contribuição previdenciária vai aumentar
|15.07.19 - Laureate deve explicar demissões e negociar com o SinproSP
|13.07.19 - Quantos anos você vai trabalhar a mais?
|12.07.19 - Nova forma de cálculo reduz valor das aposentadorias, mesmo para as mulheres

Atualize seus dados no SinproSP
Logo Twitter Logo SoundCloud Logo YouTube Logo Facebook
Plano de saúde para professores
Cadastre-se e fique por dentro de tudo o que acontece no SINPRO-SP.
 
Sindicato dos Professores de São Paulo
Rua Borges Lagoa, 208, Vila Clementino, São Paulo, SP – CEP 04038-000
Tel.: (11) 5080-5988 - Fax: (11) 5080-5985
Websindical - Sistema de recolhimentos
Baixe o APP na Google Play Baixe o APP na Apple Store