Ensino superior

Demissão da FAM atinge metade do corpo docente

Atualizada em 09/01/2018 16:23

Indignados com o rolo compressor que demitiu quase metade do corpo docente da Faculdade das Américas (FAM), professores da instituição se reuniram em assembleia no SinproSP, na tarde de segunda-feira (08), para discutir os encaminhamentos que deverão ser tomados pelo Sindicato.

A situação é crítica: dos 192 professores que lecionavam na faculdade, foram demitidos pelo menos 85. Há estimativas que as demissões possam chegar a 100. Um levantamento dos professores aponta que, na lista dos 85 desligados, mais de 50 eram doutores.

O fato de a faculdade ter demitido professores titulados, com maior carga horária e salários mais altos, indica a intenção de reduzir o custo da folha de pagamento contratando docentes por salários mais baixos e menos qualificados.

O corte de metade do corpo docente também compromete a qualidade de ensino. Muitos dos docentes demitidos estavam envolvidos em um projeto de renovação curricular de trabalho integrado entre os professores.

Os professores reclamaram também da maneira como as dispensas foram feitas. Alguns relataram que já tinham recebido a atribuição de aulas para 2018 e mesmo assim foram demitidos. Uma professora contou trabalhou normalmente na faculdade e ao chegar em casa foi surpreendida com a demissão por telegrama. O texto informava que ela estava sendo avisada por mensagem, por ‘não estar comparecendo ao trabalho’.

Além disso, a FAM cortou a assistência médica indevidamente. Um professor foi ao hospital em 31/12 e teve o atendimento negado.

FAM é convocada para reunião

O SinproSP convocou a Faculdade das Américas para uma reunião no Foro Conciliatório para Solução de Conflitos Coletivos, como prevê a Convenção Coletiva de Trabalho. O Foro é uma instância de discussão da qual participa também o sindicato patronal (Semesp).A reunião está marcada para o dia 18/09. Incialmente, o SinproSP havia proposto que ela fosse realizada dia 12, mas não houve disponibilidade nesta data.

CARTA ENVIADA AOS PROFESSORES DA FAM EM 09/01/2018