Geral

Protesto faz Anhanguera retirar propaganda de mau gosto

Atualizada em 22/08/2017 17:03

A atividade docente é bico? Para a Anhanguera parece que sim, segundo propaganda protagonizada pelo apresentador Luciano Huck , que convidava pessoas a fazer licenciatura para ter uma complementação de renda.

A reação foi imediata: choveram protestos de todos os lados. Diante da repercussão, a Anhanguera retirou a campanha e divulgou uma nota, na qual pedia desculpas e dizia que a propaganda “não representava o que nós, como instituição de ensino, acreditamos”. Será?

A propaganda é de mau gosto, mas está longe de ser infiel à Kroton-Anhanguera. A empresa é um símbolo da Educação como mercadoria, que tem no lucro e na distribuição de dividendos aos acionistas o seu maior objetivo.

Criada em 2003, a Anhanguera passou por uma expansão vertiginosa baseada numa política agressiva de controle do mercado, com cursos de baixo custo e aquisição de instituições de ensino. Semana curta (aulas de 2ª a 5ª) , “ensalamento” (junção de alunos de cursos diferentes) e demissão de professores fazem parte de um modelo de gestão pedagógica criado para reduzir custos e aumentar a lucratividade.

Do ponto de vista do Capital, a receita da Anhanguera foi tão bem sucedida que, em 2013, ela foi vendida para a Kroton, o maior grupo educacional do mundo.

É nesse perfil de negócio que se enquadra o curso que a propaganda tentou vender. Afinal, o que é esse curso de “formação pedagógica”? Uma licenciatura de curtíssima duração (de 2 a 3 semestres), totalmente on line , e diversas opções de habilitação: Matemática, Português, História, Geografia, Sociologia, Educação Física, Ciências Biológicas ou Inglês. Um curso de baixo custo e grande potencial de retorno se atingir parte dos profissionais desempregados ou subempregados.

Mais do que a propaganda, é o perfil do curso que revela a concepção da Anhanguera sobre o que é ser professor: uma mão de obra barata, de baixa qualificação, disponível para trabalho precário e de alta rotatividade.

A ideia de docência como uma subprofissão está lá, na Anhanguera. O marketing foi apenas a sua expressão.

Na direção oposta, está a consciência de que ser professor é uma atividade profissional que exige muito conhecimento, qualificação contínua e dedicação integral. Não é bico, é profissão exercida com honra e orgulho.

PS: a nota da Anhanguera também isenta Luciano Huck, dizendo que a campanha não fora submetida à análise prévia do apresentador, nem da sua equipe. Pode não ter visto o material, mas tornou-se corresponsável ao virar garoto propaganda. Aqui também não tem perdão.