Geral

Nova ministra do Trabalho foi condenada por não registrar empregados

Atualizada em 05/01/2018 02:47

Convidada por Temer para ocupar o Ministério do Trabalho, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ) foi condenada por manter funcionários sem registro, entre outras irregularidades. Dois motoristas recorreram à Justiça do Trabalho para ter reconhecido o vínculo empregatício e cobrar direitos, como o pagamento de horas extras. Os motoristas chegaram a ter jornadas de 15 horas diárias!

Em um dos processos, a deputada foi derrotada em primeira e segunda instâncias, mas o trabalhador ainda não viu a cor do dinheiro. No outro, o processo já terminou e a deputada está quitando a dívida trabalhista em parcelas.

Ironicamente, a reforma trabalhista limitou a ação da Justiça do Trabalho sob o argumento de que havia no país uma "indústria de processos". O caso dos dois motoristas é um exemplo bem acabado do importante papel da Justiça para fazer valer o mais elementar dos direitos: o vínculo empregatício.

Cristiane Brasil não registrou seus funcionários simplesmente por que não quis e por que acha que trabalhador não merece ser registrado. O que esperar de uma pessoa com esse tipo de conduta?

A condenação na Justiça do Trabalho descredencia a deputada a assumir qualquer cargo no Ministério do Trabalho. Sua nomeação como titular da pasta é um ato imoral que deve ser imediatamente revogado.