Campanha salarial

Em ato na Câmara, professores recebem apoio à luta pela Convenção Coletiva

Atualizada em 14/05/2018 17:40

O SinproSP promoveu na Câmara Municipal, dia 12/05, um ato em defesa dos direitos coletivos dos professores. evento reuniu manifestações de apoio à luta da categoria e música.

No início, Luiz Antonio Barbagli, presidente do SinproSP, avisou da nova audiência de conciliação no dia 17, mas avisou que este fato novo não altera em nada a agenda de luta: assembleia no dia 19 com discussão sobre a greve da categoria.Ele insistiu na participação de toda a categoria.

O SinproSP convidou a presidente do Sinpro Minas, a professora Valéria Morato, para participar do ato e falar da bem sucedida greve dos professores que durou dez dias e conseguiu dobrar a resistência dos sindicatos patronais. Valéria estava acompanhada da professora Rozana Maris da Silva Faro, diretora do Sinpro Minas na região de Poços de Caldas, que também havia concluído a negociação para uma nova Convenção Coletiva (em Minas, os sindicatos patronais são regionalizados).

Segundo Valéria, assim como em São Paulo, a campanha salarial em Minas foi feita sob o impacto da reforma trabalhista. Os sindicatos patronais chegaram com o objetivo de desmontar a Convenção: de 51 cláusulas, quiseram acabar com 31 e modificar outras 9.

”A categoria percebeu que a única saída era a resistência e a unidade”, afirmou Valéria. “A vitória do movimento foi possível porque os professores entenderam que era preciso se mobilizar”. Ela ainda completou: “Quem está aqui deve sair com a responsabilidade de chamar os seus colegas para a assembleia do dia 19”.

O evento também contou com a participação da Apeoesp, representada pelo Secretário de Comunicações, Roberto Guido, e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino –Contee, representada pelo professor Fábio Zambon.

O ato, que também serviu como evento preparatório para a assembleia de 19/05, foi encerrado com uma bonita apresentação do grupo Xique Xique.