Campanha salarial

A luta dos professores abre série sobre os impactos da reforma trabalhista

Atualizada em 15/06/2018 01:51

A Campanha Salarial dos Professores de São Paulo continua na pauta, atraindo a atenção pelo grau de mobilização e resistência da categoria.

Na última 5ª feira (14), o Repórter Sindical na Web, da TV Agência Sindical, começou uma série de três programas para discutir o impacto da reforma trabalhista nas negociações coletivas e o enfrentamento do movimento sindical.

Para dar início a este projeto, o jornalista João Franzin convidou o presidente do SinproSP, Luiz Antonio Barbagli, para falar da “bela jornada dos professores”, como Franzin descreveu a campanha salarial.

Durante uma hora, com transmissão ao vivo, Barbagli respondeu a perguntas, falou da campanha e mencionou os desafios daqui pra frente.

A mobilização dos professores, o apoio dado por pais e alunos e a repercussão do movimento da grande imprensa foram algumas das questões propostas por Franzin e ouvintes.

Para Luiz Antonio, a mobilização foi possível porque a categoria compreendeu a importância da defesa da Convenção Coletiva de Trabalho e fez desta pauta a sua prioridade. Mais uma vez,ele agradeceu o apoio dado por pais e alunos e chamou a atenção para o fato de que o “envolvimento da sociedade foi uma grande novidade do ponto de vista da atividade sindical”.

Ao ser indagado sobre os desdobramentos da campanha salarial , Barbagli explicou que o desafio é manter a mobilização, ampliando as formas de interação permanente com a categoria. Uma das estratégias, , é ampliar o número de delegados sindicais nas escolas. “Vamos começar a organizar agora o enfrentamento que vai gerar o 1º de março de 2019”.

Assista aqui a íntegra da entrevista: