Geral

Assembleia dos professores das Faculdades Oswaldo Cruz rejeita proposta patronal

Atualizada em 07/08/2019 18:22

Texto alterado em 12/08/2019, às 11h38

A assembleia dos professores das Faculdades Oswaldo Cruz (FOC), realizada no SinproSP, na tarde de 07 de agosto, rejeitou a proposta apresentada pela Mantenedora para pagamento do 13º salário e dos depósitos em atraso do FGTS. Também foi discutido processo de dissídio coletivo movido pelo SinproSP, em nome dos professores da Oswaldo Cruz.

A proposta rejeitada pela Assembleia previa:

a) 13º Salário: pagamento em doze parcelas, a partir de setembro, com correção mensal de 0,5% e sem a multa prevista na Convenção Coletiva.

b) Retomada dos depósitos de FGTS: a partir da folha de pagamento de outubro para o Instituto Educacional Oswaldo Quirino (segundo a Mantenedora, o FGTS do IPDC encontra-se em dia).

c) Depósito do Fundo de Garantia em atraso: para o IEOQ, os quinze meses de Fundo de Garantia em atraso seriam pagos mensalmente, em 30 parcelas a partir de novembro. Para o IPDC, a quitação das cinco parcelas em atraso se daria em dez meses, também a contar de novembro de 2019.

Depois de ampla discussão, a Assembleia deliberou pela rejeição da proposta e continuidade da ação na Justiça do Trabalho. Os professores devem aguardar a audiência, marcada para o próximo dia 22 de agosto, às 9h50.. O SinproSP divulgará o resultado da audiência.