Ensino superior

Demissões na Uninove: alerta importante!

Atualizada em 22/06/2020 21:07

Ao acessar a plataforma para dar aula, professores da Uninove foram surpreendidos neste segunda-feira, 22, com uma mensagem de demissão sumária. Ainda não está confirmado o número de professores afetados pelos cortes.

Assim que chegaram as primeiras denúncias, o Sindicato tomou providências para tentar reverter as demissões. Para o SinproSP, o fato de elas ocorrerem em meio à pandemia agrava ainda mais a situação. Por isso, o Sindicato entrou em contato com a Uninove para cobrar explicações e exigir uma reconsideração, mas também já mobilizou os seus advogados para buscar alternativas jurídicas contra as demissões.

Motivos para preocupação não faltam. A Uninove tem passado por um processo de reestruturação interna que se acentua cada ano. Houve muitas demissões em 2019 e o ano letivo de 2020 também começou mal.

Ao retornarem do recesso, muitos docentes foram surpreendidos com proposta de reorganização da grade e redução de carga horária. Vale lembrar que em dezembro de 2019, o MEC autorizou a ampliação de aulas a distância nos cursos de graduação em 40% e a Uninove tentou aplicar essa mudança já no início de 2020. Entretanto, os professores tiveram seus direitos garantidos por ação imediata do SinproSP, ao denunciar a instituição, orientar os professores a não assinarem carta de redução do número de aulas e levar o problema ao Foro de Conciliação de Conflitos Coletivos.

Mais do que a pandemia, é possível que as demissões de agora sejam a continuidade desse processo cruel que visa reduzir custos com a folha de pagamento e ampliar, tanto quanto possível, as margens de lucro.

Carteira do plano de saúde não deve ser entregue

De imediato, uma informação importante: no comunicado de demissão, os professores foram avisados que precisariam dirigir-se ao departamento de recursos humanos, na unidade Vergueiro, para devolução do crachá e da carteirinhas de  assistência médica e/ou  odontológica. Está errado. Os professores não devem entregar as carteirinhas do plano de saúde.

Na verdade, a Uninove é obrigada a manter o plano de saúde durante trinta dias a contar da comunicação de dispensa, nas mesmas condições contratuais vigentes. Ela também deveria ter informado aos professores que eles podem optar por permanecer no plano por um determinado período, depois de encerrados os trinta dias, desde que se comprometam com o custo integral da assistência médica.

Alternativas possíveis

A primeira medida é criar uma rede de comunicação com todos os professores demitidos. Por isso, o SinproSP solicita que escrevam para o email uninove@sinprosp.org.br e informem os seus dados de contato. 

Essa rede possibilitará uma troca de informações mais ágil e os professores também poderão esclarecer dúvidas específicas. Cabe lembrar que o departamento previdenciário está fazendo contagem do tempo de contribuição para os professores que acreditam estar próximos da aposentadoria, com direito à estabilidade.

Essa rede possibilitará uma troca de informações mais ágil. Os professores também poderão esclarecer dúvidas específicas. Cabe lembrar que o departamento previdenciário está fazendo contagem do tempo de contribuição para os professores que acreditam estar próximos da aposentadoria, com direito à estabilidade.

O SinproSP também está elaborando um guia de direitos básicos, sempre necessário nessas horas. Ele será encaminhado ainda no dia 23 a todos os professores da Uninove que o Sindicato tem cadastrado.