Educação básica

No TRT, sindicato das escolas volta a defender redução de direitos

Atualizada em 24/04/2018 14:53

O Sieeesp apresentou ao Tribunal Regional do Trabalho sua contestação às reivindicações dos professores no processo de dissídio coletivo. O documento foi protocolado dia 19/04 e os advogados do SinproSP têm dez dias de prazo para apresentar sua defesa.

Apesar de algumas alterações em relação ao que apresentou nas negociações salariais, o Sieeesp insiste em alterar para pior cláusulas fundamentais para os professores como se verifica no quadro abaixo:

clique na imagem para ampliar

Sem aumento real

No documento entre ao TRT, o Sieeesp aceita um acordo por dois anos. Em relação às cláusulas econômicas, a proposta prevê somente a reposição inflacionária, sem aumento real. Também acena com a possibilidade de 12% como participação nos lucros.

A reivindicações dos professores prevê a inflação mais aumento real de 3%, em dois anos, além da PLR (24% e 30%)