Ensino superior

As demissões no ensino superior

Atualizada em 03/07/2020 16:46

Com ou sem pandemia, o final de junho é sempre um período carregado de tensão para os professores. Não bastassem as avaliações, fechamento de notas, reposição de aulas, há ainda a sombra da demissão, especialmente no ensino superior de cursos semestrais.

A concentração de demissões nos finais de semestre (principalmente em dezembro) deve-se à Garantia Semestral de Salários, um importantíssimo direito assegurado na Convenção que encarece e por isso dificulta as dispensas durante o período letivo.

Esse ano, contudo, há algo de diferente. Os números, ainda preliminares, assustam em algumas instituições. Na Uninove e Unicsul, as demissões devem atingir entre 30% e 35% do corpo docente.

Culpa da Covid-19? Da evasão? Inadimplência? Não. Os mantenedores estão fazendo da pandemia o laboratório para acelerar uma reestruturação que já vinha sendo construída e que tem como único objetivo ampliar os lucros, que nunca foram baixos, pela redução drástica na folha de pagamentos e precarização do trabalho. E isso não seria possível sem a conivência do Ministério da Educação e do Conselho Nacional de Educação.

Para o SinproSP, toda professora, todo professor importa e toda demissão, no ensino superior ou na educação básica, é uma tragédia. Por isso, está apurando as dispensas em outras instituições e, para tanto, depende fundamentalmente da informação da categoria. O Sindicato vai acolher, orientar e prestar toda assistência possível aos professores. E, nos locais em que forem identificadas outras demissões em massa, continuará recorrendo a todos meios jurídicos e políticos para conter esse processo.

Leia também:

SinproSP recorre à Justiça contra demissão em massa na Unicsul (01/07/2020)

Uninove: marcada audiência na Justiça para o dia 09 de julho (29/06/2020)

Tribunal dá cinco dias para Uninove se manifestar (26/06/2020)

Sinpro São Paulo entra com ação na Justiça contra demissões na Uninove (23/06/2020)

Demissões na Uninove: alerta importante! (22/03/2020)

Sobre redução de carga horária:

Professores da Sumaré têm que recusar proposta de redução de carga horária (03/07/2020)

Cuidado com propostas de redução de carga horária (26/06/2020)

Professores da Unip não devem responder à redução de aulas (23/06/2020)