SinproSP

Sem trégua: pressão continua e escolas cedem

Atualizada em 18/06/2004 14:13

A pressão contra as escolas que ainda não pagaram a dívida que têm com seus professores referente ao dissídio coletivo 2003 é grande tanto que cresce a cada dia o número de instituições que procuram o Sindicato.

Só nos últimos quatro dias, seis escolas apresentaram ao SINPRO-SP propostas de acordo para o pagamento do dissídio coletivo 2003, algumas delas, inclusive, já incluem um índice de antecipação do dissídio 2004, que está em tramitação no TRT.

Hoje já passa dos 9 mil o número de professores na cidade de São Paulo que já tiveram seus salários reajustados em 16,42%. O trabalho do Sindicato continua focado na ampliação dessa realidade, ou seja, trabalhar para que todas as escolas cumpram o que a Justiça determinou.