SinproSP

Assembléia repudia descaso dos donos de escola

Atualizada em 02/02/2004 17:16

Os professores reunidos em assembléia, no último sábado, dia 31 de janeiro, repudiaram o descaso dos donos de escola com a campanha salarial 2004 e mostraram-se engajados na mobilização dos colegas para a assembléia com falta abonada, do dia 18 de fevereiro, o “Dia de Luta” da categoria.

“Sem a mobilização dos professores será difícil tirar os donos de escola dessa arrogância e descaso com as reivindicações dos professores”, afirmou o presidente do SINPRO-SP, Luiz Antonio Barbagli, durante a assembléia. “É hora de pressionar, de mostrar a força dos professores para que essa situação mude”, completou.

Durante a primeira rodada de negociação, o Sieeesp, sindicato das escolas de educação básica, não apresentou qualquer contraproposta, limitando-se a falar da crise enfrentada pelo setor. No caso do ensino superior, a mesma história: a crise estaria impedindo qualquer índice de reajuste para os professores em 2004. O único segmento que apresentou avanços foi o Sesi/Senai, mas mesmo assim, ainda não houve qualquer manifestação patronal quanto ao índice de reajuste e demais reivindicações econômicas.

Indignados, os professores presentes autorizaram a instauração do dissídio coletivo, no caso de fracasso no andamento das negociações, e mostraram-se engajados na mobilização de seus colegas para que a assembléia com falta abonada no dia 18 de fevereiro, às 10 horas, seja de um grande ato pelo respeito dos direitos da categoria.