Eventos

O dia em que Leonardo Boff veio ao Sinpro-SP

Atualizada em 11/03/2016 14:36

Se uma palavra pudesse definir a palestra do teólogo e professor Leonardo Boff na tarde da última quinta-feira, 10, no Sinpro-SP, ela seria “coração”. Boff deu uma verdadeira aula sobre respeito ao próximo. “Os homens têm de se unir em convergência pela humanidade. Ver a Terra como a casa do mundo”. O evento, que teve como tema "A intolerância na sociedade moderna", faz parte do projeto Diálogos Pertinentes, que visa trazer personalidades importantes para discutir temas pertinentes à vida dos professores.

Para Boff, a origem da intolerância reside na vontade do outro em impor a sua cultura. “A cultura ocidental é extremamente identitária. Ela tenta levar a europalização para o mundo inteiro”. Segundo ele, o homem que acredita ser portador exclusivo do que é bom e correto não consegue enxergar um semelhante naquilo que é diferente, vê apenas um erro. “E o erro não tem direito, precisa ser destruído”, disse.

O professor Leonardo explicou que para conviver com o outro é necessário conhecê-lo e aceitá-lo assim como ele é. Deu o exemplo das três Irmãzinhas de Jesus que em 1952 saíram da França com a missão de recuperar a quase devastada tribo dos Tapirapé. Em 60 anos que as irmãs viveram em conjunto, a tribo passou de 45 para 700 índios. “E sabe quantos desses foram convertidos ao cristianismo? Nenhum”. Para o teólogo esse é o maior exemplo de respeito ao próximo.

Mais ao final da palestra Boff comparou a sociedade à natureza. “O mundo nasceu da diversidade. Na natureza existem diversos animais, diversas espécies de bichos e todos eles vivem em conjunto, se respeitando. Nós lutamos para preservar um animal, preservar a natureza. Enquanto isso, matamos e excluímos os outros”.

Quando perguntado sobre então o que poderíamos fazer para mudar o cenário atual, Leonardo Boff repassou o conselho que ouviu em sua última viagem à América Central. Em encontro com um grupo de Mayas, a xamã lhe disse que para eles tudo tem coração, pessoas, bichos e atitudes. “Quando você tiver duas opções de caminho a seguir, escolha aquela que tem coração. Ao escolher o caminho que tem coração, você nunca ficará desamparado”.