SinproSP

Aumento das mensalidades previu reajuste dos salários. Cadê o dinheiro?

Atualizada em 31/03/2016 23:59

Os professores sabem que no aumento das mensalidades praticadas desde janeiro já está embutido o reajuste salarial dos professores. E as escolas ainda ganham três meses, já que começaram a cobrar no início de janeiro e só pagam os professores no final de março ou inicio de abril.

Na educação básica e no ensino superior, a lei que disciplina o aumento das mensalidades L. 9870 exige que as escolas justifiquem o índice aos pais e alunos, por meio de uma planilha de custos, que deve permanecer em local visível (geralmente, a secretaria).Entre os itens que precisam ser demostrados está a projeção de reajuste dos salários.

No segundo semestre de 2015, todas as escolas sabiam que a inflação chegaria a dois dígitos e incorporaram o aumento salarial nas novas mensalidades. Um levantamento do Sieeesp, sindicato patronal da educação básica, divulgado em dezembro de 2015 indicou que o reajuste médio das mensalidades foi de 12%.

Do ensino superior, a situação é tão ou mais confortável. Além do aumento das mensalidades, as IES têm adotado estratégias para cortar custos e aumentar a margem de lucro, principalmente às custas do trabalho docente. Os mantenedores ainda foram brindados com recursos públicos e privados para financiamento das mensalidades escolares e puderam reajustar o que bem entenderam.

Em relação ao último segmento - o Sistema S – é um verdadeiro escândalo ver o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, negar o reajuste para os professores, enquanto torra milhões na campanha do Pato (na verdade, um plágio do artista plástico holandês Florentijn Hofman) para financiar o impeachment da Presidente Dilma.

Conta de mentiroso: seis pontos sobre a farra publicitária da Fiesp e o prejuízo dos professores

Antecipação salarial já!

Estamos numa corrida contra o tempo e os salários dão podem permanecer congelados. Diante da impossibilidade de ver a negociação coletiva resolvida ainda em março, o Sinpro-SP iniciou uma campanha para os salários dos professores sejam reajustados pela inflação – 10,57% - ainda em março.

O sindicato vai, agora, divulgar a lista das escolas que já concederam a antecipação salarial. A informação pode contribuir para a negociação coletiva mas também será importante na organização dos professores no local de trabalho.

A reposição integral da inflação é o mínimo que a categoria deve receber até que as negociações coletivas sejam concluídas.