Campanha salarial

Na Fiesp, só não tem dinheiro para os professores do Sesi/Senai

Atualizada em 08/04/2016 00:44

Em entrevista à Rede Brasil, o professor Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores do Estado de Sao Paulo (Fepesp) e diretor do Sinpro-SP, voltou a criticar a intransigência do Sesi e do Senai nas negociaçōes salariais.

Ele também denunciou o aumento da pressão para que os professores aceitem a proposta de reajuste de 5,5% em março, contra uma inflação de 11% (o restante só seria pago em julho). Vale tudo....

Diariamente, chegam comunicados nas unidades que orientam como a pressão deve ser feita. Segundo Napolitano, uma dessas circulares lembrava aos professores que o Sesi recebeu a inscrição de 60 mil profissionais no último processo seletivo e que haveria 20 mil pré-inscritos, prontos para substituir os professores insatisfeitos

No dia 21/03, uma outra circular tentou desqualificar a decisão soberana da assembleia dos professores do Sesi, que havia recusado a proposta patronal. A resposta do Sinpro-SP foi imediata.

Confira a entrevista de Celso Napolitano concedida no dia 04/04:

Fiesp financia impeachment, mas nega reajuste a professores do Sesi