SinproSP

Posição da diretoria do SINPRO-SP sobre reportagem veiculada no Fantástico

Atualizada em 23/11/2004 15:47

Leia abaixo posição da diretoria do SINPRO-SP sobre a reportagem veiculada no Fantástico no último domingo. Texto foi encaminhado ao diretor do programa, Sr. Luiz Nascimento.

”A diretoria do Sindicato dos Professores de São Paulo, que representa os docentes das escolas particulares da cidade de São Paulo, tomou conhecimento da reportagem veiculada no programa Fantástico exibida no último domingo a respeito de violência psicológica contra estudantes do ensino fundamental cometida por professores.

Não há qualquer justificativa para as situações relatadas na reportagem. Este Sindicato reprova veementemente atitudes que reduzem o papel que o professor, em qualquer nível de ensino, deve ter na construção da personalidade de jovens estudantes.

Todavia, acreditamos que a Rede Globo de Televisão ampliaria os serviços que presta à comunidade se procurasse saber com profundidade as reais condições em que os professores trabalham, tanto nas escolas públicas quanto nas particulares. Não é apenas o número excessivo de alunos em sala de aula que conduz nossa categoria a um permanente estado de estresse emocional raramente visto em outras atividades profissionais. É também o volume de encargos burocráticos, didático-pedagógicos e disciplinares que impedem que os professores possam desenvolver plenamente as atividades para as quais estão preparados.

Reiteramos que nada justifica qualquer descontrole de um professor em relação a seu aluno, assim como nada justifica a incompetência em qualquer área de trabalho, na medicina, no direito, no jornalismo. É justamente por isso que nos sentimos à vontade para ponderar com o senhor sobre o risco de que uma reportagem que apresenta dados genéricos perigosos sobre as relações entre professores e alunos possam levar a audiência da Rede Globo a uma falsa idéia das reais dimensões do desafio que os educadores enfrentam no Brasil de hoje.

Atenciosamente,
Luis Antonio Barbagli
Presidente do SINPRO-SP”