Campanha salarial

49% das negociaçōes no primeiro trimestre tiveram menos do que a inflação

Atualizada em 13/05/2016 02:46

Levantamento preliminar do Dieese indica que 49% das negociações concluídas no primeiro trimestre de 2016 ficaram abaixo da inflação (INPC). É o que relata reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 10/05.

Foram analisados 102 acordos em todo o país. Mesmo preliminares, os dados revelam uma piora em relação ao mesmo período de 2015. De 204 negociações concluídas entre janeiro e março de 2015, 60% tiveram reajuste acima da inflação.

Os resultados referentes a 2015 estão no “Balanço das Negociações dos Reajustes Salariais de 2015”, estudo do Dieese com 708 negociações nos três setores da economia.

Considerando todas as negociações de 2015, o percentual com índices superiores ao INPC cai para 52%. Isso mostra que no decorrer do ano passado, as negociações foram ficando mais difíceis.

Inflação

Na reportagem do Estadão, o técnicos do Dieese, Luís Ribeiro, alertou para o fato de que os reajustes são preliminares, pois muitas categorias ainda não assinaram convenção coletiva. É o caso dos professores da rede privada de São Paulo.

Ribeiro também atribuiu a redução dos reajustes ao aumento da inflação., como está ocorrendo em São Paulo. De fato, a principal dificuldade na nossa campanha salarial tem sido o reajuste. Em janeiro, o Sinpro-SP já alertava para o fato de que a inflação alta seria o maior desafio da Campanha Salarial.

Leia também

Balanço das Negociações dos Reajustes Salariais de 2015 - Dieese

49% das negociações ficaram a abaixo da inflação - Jornal O Estado de S. Paulo