Direitos

Kroton suspende cobranças das taxas de coparticipação

Atualizada em 23/08/2016 16:38

Após reunião (18/08) convocada pelo Sinpro-SP, Sinpro ABC e Fepesp, a Kroton interrompeu a cobrança de taxas de coparticipação no plano de saúde dos professores que desrespeita a Convenção Coletiva. O Sindicato foi comunicado na 2a feira.

A suspensão foi uma exigência das entidades, até que o problema seja definitivamente resolvido. Uma nova reunião foi marcada para o dia 15/09, no Foro Conciliatório para Conflitos Trabalhistas.

Entenda o caso

Em agosto, o Sinpro-SP e o Sinpro-ABC receberam denúncias de que a Kroton decidiu unilateralmente substituir o plano de saúde coletivo por um plano de coparticipação, no qual os professores e funcionários passariam a pagar por consultas, exames e outros procedimentos.

Para o Sinpro-SP, a mudança fere a Convenção Coletiva de Trabalho do Ensino Superior. A norma coletiva garante assistência médica custeada pela empresa, sem carência, nem limite de consultas, exames ou internação, durante todo o ano, inclusive na UTI.

Pela Convenção, trabalhadores e funcionários devem arcar somente com 10% do valor. Evidentemente, o pagamento, ainda que parcial, de cada consulta ou procedimento, põe por terra essa importante conquista. Por esse motivo, os sindicatos querem que a Kroton volte ao plano que era mantido até julho.