Geral

Reforma da Previdência: a hora é de resistência e luta

Atualizada em 07/12/2016 11:05

A proposta do governo Temer acaba com a aposentadoria por tempo de contribuição e a aposentadoria dos professores de educação básica; fixa idade mínima de 65 anos e prevê aumento para os próximos anos; reduz o valor da aposentadoria pela mudança na fórmula de cálculo; corta as pensões por morte à metade e impede a percepção simultânea com a aposentadoria; entre outros atentados.

É uma reforma cruel, que inviabiliza o direito à aposentadoria e rouba parte das contribuições que os trabalhadores já fizeram ao INSS. Foi criada para atender o mercado e transferir recursos gigantescos para a iniciativa privada, especialmente o setor financeiro.

Por não ter sido eleito pelo voto popular, esse governo acredita que não deve satisfação a ninguém. Seu único compromisso é com as forças que lhe deram sustentação e que agora cobram muito caro por isso.

Diretoria do Sinpro-SP, em 07/12/2016