Sesi/Senai

No Sesi e Senai, assembleia aprova acordo por dois anos

Atualizada em 25/03/2017 11:23
"Acordo de dois anos é o grande avanço", diz Celso Napolitano

Os professores e técnicos de ensino do Sesi e Senai decidiram aceitar a contraproposta patronal que prevê manutenção das cláusulas sociais por dois anos, reajuste salarial de 4,2% e reajuste nos vales alimentação e refeição de 7%. A assembleia foi realizada no SinproSP, dia 25/05.

Na data base de 2018, serão negociadas apenas seis cláusulas: as de impacto econômico – reajuste salarial, novos valores dos vales refeição e alimentação e complementação do auxílio-doença -, estabilidade a 24 meses da aposentadoria e a indenização adicional de 15 dias NE demissão sem justa causa aos professores com 50 anos de idade ou mais.

Pesou na decisão dos professores a possibilidade de garantir os direitos coletivos até fevereiro de 2019 numa conjuntura de precarização das relações de trabalho.

Cláusulas como garantia semestral de salários, recesso, férias coletivas, hora-atividade, são direitos cada vez mais importantes que protegem a categoria contra a desregulamentação da CLT.

Greve geral em defesa dos direitos

A assembleia também discutiu a ofensiva contra os trabalhadores com a reforma trabalhista, a terceirização e a reforma previdenciária.

O presidente do SinproSP informou que as centrais sindicais estão organizando uma greve geral para a segunda quinzena de abril (a data ainda não foi definida) e que por isso, o SinproSP está chamando uma reunião preparatória no dia 08/04.

Barbagli também comentou que o SinproSP apoia as manifestações que estão previstas para o dia 31 de março.