Geral

Fundação São Paulo ameaça reduzir salários dos professores da PUC

Atualizada em 26/08/2015 14:49

Numa insinuação sombria de que planeja uma grave lesão aos direitos dos professores, a Fundação São Paulo – a pretexto de “recuperar a verdade” em torno das notícias sobre uma eventual redução de salários - divulgou nota na qual esclarece que em vista de “erro na fórmula do salario docente” (o pagamento de 5 semanas e não 4,5) vai propor Ação Declaratória junto à Justiça do Trabalho visando corrigir o problema. A ameaça foi feita em nota oficial da FUNDASP publicada em 21 de agosto último.

Qual é o problema com o cálculo atual dos salários que foi estabelecido no Acordo Interno de Trabalho assinado em 31 de março deste ano? A cláusula 14 do documento não deixa dúvidas a respeito disso: “o descanso semanal remunerado dos Professores será calculado à razão de 1/6 (fração da semana) sobre 5 (cinco) semanas”. Para que a Fundasp não se atrapalhe, é bom lembrar: um dos signatários do acordo é o próprio secretário executivo da Fundação, Pe. José Rodolpho Perazollo (leia aqui a íntegra do texto).

Tudo indica que a PUC-SP, frequentemente vitimada pela incompetência de seus gestores, volta à iminência de uma nova crise. Da mesma forma como atuou na mobilização dos professores pelo pagamento do reajuste salarial 7,66% devido desde 2005, também agora, caso a desvario da Fundasp se concretize, a diretoria do SINPRO-SP atuará firmemente na defesa dos interesses e direitos do corpo docente da PUC.