ASSEMBLEIA

Assembleia aprova comissão para definir protocolos de retorno às aulas

Atualizada em 08/02/2021 20:19

Texto atualizado em 09/02//2021

Reunidos em assembleia neste sábado, dia 06, professoras e professores da educação básica aprovaram, por 94% dos votos, encaminhamento da Diretoria do SinproSP que prevê a criação de um comitê intersindical para definir protocolos de retorno das aulas presenciais, receber denúncias e tomar providências para que o cumprimento das normas pelas escolas. Uma nova assembleia foi marcada para o próximo sábado, dia 13, quando poderão ser apresentadas novas contribuições sobre protocolos que garantam segurança e condições de trabalho.

Pela proposta apresentada, essa comissão teria como objetivo negociar normas e procedimentos sobre condições de trabalho e de biossegurança, a serem obrigatoriamente cumpridos pelas escolas, já que os protocolos existentes são insuficientes e jogam a responsabilidade da prevenção sobre os professores e os estudantes. Essa proposta também procura resolver um dos maiores problemas enfrentados neste quase um ano de pandemia: a deficiência na fiscalização das escolas particulares pelo Poder Público.

A comissão teria abrangência estadual, com a participação paritária de trabalhadores em Educação, por meio da Fepesp (Federação dos Professores do Estado de São Paulo) e de escolas, pela Feeesp (Federação dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo). A Fepesp representa o SinproSP e outros vinte e quatro sindicatos de professores e trabalhadores em Educação da rede privada no estado de São Paulo.

Campanha Salarial

A Assembleia também aprovou a pauta de reivindicações para a Campanha Salarial 2021. A proposta apresentada pela Diretoria prevê a renovação, por mais dois anos, de todas as cláusulas, reajuste com reposição inflacionária e aumento real e PLR de 24%.

Há ainda uma segunda parte com reivindicações específicas para o período de pandemia e que teriam vigência apenas durante esse período de excepcionalidade.

RESUMO DA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES APROVADA EM 06/02

Inflação

Este ano, a Campanha começa com uma dificuldade adicional: a alta do custo de vida. De março a dezembro de 2020, o INPC-Ibge e do IPC-Fipe, dois indicadores adotados nas negociações salariais superam os 5%. As projeções indicam que até o final de fevereiro, a inflação pode chegar a 7%.

Unificação

A pauta será unificada no estado a partir do dia 18, depois que todos os sindicatos realizarem suas assembleias.Isso porque a Campanha Salarial tem abrangência estadual, com a coordenação da Federação dos Professores do Estado de São Paulo e a ação conjunta de 25 sindicatos.