ASSEMBLEIA

Assembleia decidiu: professores da educação básica em greve a partir do dia 11

Atualizada em 06/03/2021 22:34

Por maioria de votos, professoras e professores das escolas particulares de São Paulo reunidos em assembleia no sábado, 06/03, decidiram entrar em greve a partir do dia 11 caso as atividades presenciais não sejam suspensas.

Seguindo o rito de greve, o SinproSP encaminhará, na segunda-feira (08), carta ao sindicato patronal com a pauta de reivindicações, dando 48 horas para iniciar negociações. Se as tentativas de negociação fracassarem, a greve começa no dia 11 com a suspensão das atividades presenciais e manutenção das aulas remotas continuam. Nova assembleia virtual será realizada no dia 11, às 19h.

A pauta de reivindicações também condiciona o retorno ao trabalho presencial à testagem de toda a comunidade escolar, ao fornecimento de máscaras N95/Pff2 e à divulgação imediata, pelas escolas, dos casos de contaminação.

Risco que precisa ser evitado

A primeira parte da assembleia foi reservada para relatos que revelaram as condições de risco das aulas presenciais e a dificuldade das professoras e dos professores serem ouvidos pelos donos de escolas.

As críticas também foram dirigidas à política negacionista, irresponsável e criminosa do governo estadual e do grupo autodenominado “Escolas Abertas”.

A todo momento, professoras e professores reafirmavam que as escolas não estão e nunca estiveram fechadas e que o ensino continua garantido, mesmo com a suspensão temporária das aulas presenciais. Manter exclusivamente as aulas remotas, com alunos e trabalhadores protegidos em suas residências, é uma medida urgente e necessária diante da escalada da pandemia e da aceleração na taxa de contágio.

O advogado Ricardo Gebrin, do SinproSP, explicou os procedimentos necessários para dar garantias jurídicas à categoria, durante a greve. Ele tambpem respondeu a perguntas e tirou dúvidas dos professores. 

Comissão 

Uma comissão de organização está sendo criada para organizar, desde segunda-feira, ações de informação, orientação e mobilização da categoria, distribuição de material para dar visibilidade à luta e estabelecer um diálogo junto à sociedade e, em particular, mães, pais e responsáveis das nossas alunas e alunos.

Unidade e mobilização

A Diretoria do SinproSP está em contato permanente com a categoria, conversando com professoras e professores em reuniões por escolas, grupos de escola e regiões. Você também pode chamar o Sindicato para um encontro com os seus colegas. Basta ligar ou enviar uma mensagem de whastsapp. O número é sempre o mesmo (11) 5080.5988.

E não se esqueça! Acesse as redes sociais, adicione o SinproSP no whatsapp e mande um alô, para receber notícias atualizadas.

clique na imagem abaixo para inscrever-se na Assembleia