Coronavírus

Abepar é parceira da tragédia que está acontecendo em São Paulo

Atualizada em 19/03/2021 10:57

A Diretoria do Sindicato dos Professores de São Paulo (SinproSP) manifesta sua mais profunda indignação e absoluto repúdio em relação à Abepar (Associação Brasileira de Escolas Particulares, entidade que reúne renomados colégios da cidade, localizados em bairros nobres da capital), que vem agindo de forma irresponsável e truculenta, em tenebrosas articulações inclusive com o governo do Estado, com objetivo de forçar a reabertura das escolas e a retomada inconsequente das aulas presenciais.

Trata-se de afronta à dignidade humana, incentivo à tragédia que estamos vivendo, atuar para que escolas continuem abertas, ampliando a circulação de milhões de pessoas pela cidade, no momento mais grave até aqui da pandemia, com recordes macabros de mortes registrados diariamente e o colapso dos sistemas de saúde, inclusive em São Paulo, ignorando até mesmo experiências internacionais e recomendações de secretários da saúde e de renomados cientistas. As contaminações e as mortes, aliás, já chegaram tristemente também às escolas.

É importante expressar nossas radicais divergências com o que vem sendo defendido pela Abepar para dizer mais uma vez e com muita contundência que, bem distantes de interesses que se movem pela lógica apressada do negócio, reforçamos nosso compromisso com a segurança e a responsabilidade que devem pautar o retorno às aulas presenciais, quando essa volta for de fato possível. Conteúdos podem ser depois recuperados. Nossa preocupação é com vidas, que precisam ser protegidas e preservadas.