Coronavírus

A volta às aulas e o direito à vida pelo olhar de dois advogados

Atualizada em 16/04/2021 00:23

O SinproSP promoveu na quinta-feira , 15 de abril, uma conversa sobre a volta às aulas presenciais. Foram convidados a falar a advogada Ana Amélia Mascarenhas Camargos, presidenta da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP e professora da PUC-SP e o advogado Ricardo Gebrim, chefe do Departamento Juridico do SinproSP e membro da dieção nacional da Consulta Popular.

Fazendo fortes críticas a Bolsonaro, Ana Amélia denunciou o negacionismo e da falta de políticas coordenadas nacionalmente. "O Brasil se tonou um pária internacional, pois é hoje um celeiro de contaminação a céu aberto", afirmou Ana Amélia. Ela também defendeu um auxílio emergencial decente, suficiente para  permitir que as pessoas possam permanecer em casa. Disse também ser a favor da imunização dos professores e das aulas remotas no atual estágio da pandemia, embora entenda a dificuldade de mães e pais.

Gebrim, por sua vez, explicu didaticamente o curso da ação judicial que impede a convocação de professores para atividades presenciais. Ele foi muito claro ao afirmar que a sentença continua valendo e reclamou de desculpas pretensamente "jurídicas" para que as escolas e o governo deixem de cumprir a decisão. Para Gebrim, o Executivo estadual está sendo pressionado pela reabertura das escolas por grupos que têm influência no governo. Ele também criticou a desinformação gerada por reportagem do Jornal O Estado de São Paulo, publicada em 15 de abril. Confira na íntegra: