Coronavírus

Governo antecipa vacinação de professores para liberar mais alunos no presencial

Atualizada em 09/06/2021 19:09

O governo estadual anunciou uma boa notícia na quarta (09):  o início da vacinação dos professores com menos de 45 anos a partir de 11 de junho e não mais no dia 21 de julho, como previsto. Encerrada essa etapa, agora é preciso vacinar os professores do ensino superior que não se encontram em grupos prioritários. 

O calendário de vacinação de todas as pessoas sem comorbidades com mais de 18 anos que moram no estado de São Paulo também foi antecipado. A promessa é que toda população será receberá ao menos uma dose até 18 de outubro.

Mudanças à vista?

Na coletiva de imprensa, o secretário da Educação, Rossieli Soares, afirmou que a vacinação pemitirá  uma volta mais segura às aulas presenciais, o que permitirá "avançar" nas regras para a volta às aulas. A nova proposta está sendo discutida por uma "comissão médica" e será apresentada ao Centro de Contingência na próxima semana. Segundo Soares, "a nova metodologia estará mais ligada ao distanciamento entre  os jovens  dentro da escola e à capacidade física".

Na verdade, há pressão para que as escolas possam receber um número maior de alunos. A mudança poderia vir pela ampliação do limite atual (35%) ou pela alteração nas regras, possibilitando que o percentual máximos de alunos seja calculado pela capacidade da escola e não pelo número de estudantes matriculados. Para o SinproSP, nenhum desse critérios está correto. O certo seria calcular o percentual por classe para impedir salas lotadas, especialmente na educação infantil e no 3º ano do ensino médio.

Cadastro prévio

Assim como nos grupos anteriores é obrigatório o cadastramento prévio no portal Vacina Já. Tenha os dois últimos holerites digitalizados (pdf ou jpeg), pois é preciso anexar os arquivos na página, depois de preenchidos os dados pessoais.

Feito o cadastro, os professores deverão receber por e-mail um comprovante, com QrCode. A vacinação exige a apresentação desse comprovante e de um documento com foto.

Professores do ensino superior

O SinproSP continuará cobrando a imunização dos professores do ensino superior que se enquadam em grupos prioritários e estão abaixo da faixa etária mínima, Indagado na coletiva de 06 de junho, o secretário da Educação, Rossieli Soares, afirmou que a prioridade era a imunização de todos os trabalhadores da educação básica e só depois viriam os do ensino superior.