SinproSP

Cresce a dívida das escolas

Atualizada em 04/03/2004 17:55

As escolas de educação básica que não concederam qualquer reajuste em 2003 têm uma dívida com cada um de seus professores que chega a 2,81 salários. A situação fica ainda mais grave quando se soma a esse valor a dívida referente ao tíquete-refeição: R$ 1.716,00 para cada docente. Os dados são do levantamento feito pelo SINPRO-SP que leva em conta o período de 1º de março de 2003 a 29 de fevereiro de 2004.

Quanto mais essas escolas que se recusam a cumprir a sentença do TRT protelarem o pagamento do que devem a seus professores, maior será a dívida trabalhista acumulada. E não há desculpas para o não cumprimento: a sentença está em pleno vigor e não existe nada que a suspenda, exceto decisão do Tribunal Superior do Trabalho. Como o TST não se pronunciou sobre o tema, as escolas têm que pagar, sim, o que a Justiça determinou.

A ordem é não dar trégua a quem ousar dar calote. Pouco a pouco as escolas vêm se convencendo de suas obrigações e estão pagando seus professores (veja a lista instituições). Mas a batalha ainda é longa e exige firmeza da categoria. Organize seus colegas e venha ao SINPRO-SP lutar pelo cumprimento integral do dissídio coletivo.

Quanto a sua escola deve? Clique aqui e confira o levantamento feito pelo SINPRO-SP com a simulação de cinco situações diferentes.