Dissídio Coletivo

SinproSP vai cobrar escolas que não pagaram diferenças salariais retroativas

Atualizada em 04/11/2021 17:13

O dissídio coletivo na educação básica foi julgado em 22 de setembro e a sentença publicada dia 28. As escolas já tiveram tempo suficiente para quitar as diferenças retroativas a março de 2021, decorrente do reajuste salarial de 6,29%. Se você ainda não recebeu, denuncie. O SinproSP garante sigilo absoluto e vai cobrar todas as escolas que ainda não pagaram o que devem aos professores.

Como o julgamento ocorreu quando a maior parte das folhas de pagamento já estava fechada, algumas escolas alegaram que não tinham tempo hábil para calcular as diferenças e pagá-las no mês passado. Agora, esse argumento não vale. Houve tempo para fazer as contas e pagar, junto com os salários de outubro.

As escolas que forem denunciadas serão cobradas. Caso os professores não recebam, o Sindicato entrará com ação de cumprimento na Justiça do Trabalho. 

Calcule as diferenças

Apenas dois dias após o julgamento do dissídio, o SinpoSP já havia preparado uma planilha digital para ajudar as professoras e os professores a calcularem as diferenças devidas. Se você ainda não fez, organize os seus holerites e acesse a planilha aqui.

Fale com o SinproSP

Avise imediatamente o Sindicato caso você ainda não tenha recebido as diferenças retroativas ou se a escola deixou de aplica corretamente o reajuste. O SinproSP garante sigilo total. Faça a sua denúncia aqui.