SinproSP

Fórum Mundial de Educação

Atualizada em 02/04/2004 15:55

A crítica contra a brutal mercantilização da educação pela qual o Brasil passou nos últimos anos foi a tônica do documento entregue pelo SINPRO-SP na noite de abertura do Fórum Mundial de Educação que acontece em São Paulo até domingo, dia 4 de abril.

Intitulado "carta aberta dos professores da rede privada de ensino de São Paulo", o texto aponta a preocupação com privatização desenfreada do ensino no país e as conseqüências desse problema. “O ensino privado criou em nosso país o mito de que oferece qualidade. É uma mentira. As escolas particulares, em sua grande maioria, estabeleceram no Brasil a mais pura e brutal mercantilização da educação de que se tem notícia no mundo inteiro”, aponta trecho do documento.

Estiveram presentes na solenidade de abertura do FME – que aconteceu no Pólo Cultural Grande Otelo, no Parque do Anhembi, com um público estimado de 8 mil pessoas – o ministro da Educação, Tarso Genro, a ministra da Secretaria Especial para Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, o representante do Comitê Organizador do Fundo Mundial de Educação, Pablo Gentile, entre outros.

O FME de São Paulo, cujo tema é “Educação Cidadã Para uma Cidade Educadora”, é uma prévia do III Fórum Mundial de Educação que acontecerá em julho, em Porto Alegre. A expectativa dos organizadores é que cerca de 60 mil pessoas, de vários países – educadores da educação formal, informal e não-formal -, participem das diversas atividades programadas.

Acompanhe as atividades pelo site oficial do evento: http://fmet.terra.com.br

Fórum Mundial de Educação
De 1 a 4 de abril, no Palácio de Convenções do Anhembi
São Paulo