SinproSP

MEC descarta o Exame Nacional de Certificação de Professores

Atualizada em 26/04/2004 15:55

“A certificação de professores é uma das ações que atual administração não vai continuar”. A informação é da assessoria de imprensa do Ministério da Educação sobre os rumos do exame nacional de certificação de professores, proposta do MEC que gerou polêmica no ano passado ao ser apontado pelo governo como um dos principais instrumentos de valorização do trabalho docente.

Grande parte das entidades de representação de professores foi contra a proposta oficializada através da portaria 1.403, de 10 de junho, que instituiu o Sistema Nacional de Certificação e Formação Continuada de Professores. “O exame de certificação repete o mesmo erro do provão feito para os estudantes: penaliza a vítima e não avalia o processo de formação responsável pelas deficiências que possa apurar”, apontava manifesto liderado pelo SINPRO-SP, com o apoio da CONTEE, FEPESP, entre outras entidades. Sob forte pressão, o MEC, que na ocasião estava sob o comando de Cristovam Buarque, recuou e adiou a realização do exame. A idéia era aplicá-lo somente no segundo semestre deste ano.

Agora, com exame de certificação descartado, o MEC garante que conduz trabalho voltado à formação continuada de docentes. Ainda de acordo com informações da assessoria de imprensa do Ministério, a Secretaria de Educação Básica já selecionou 20 universidades para compor a Rede Nacional de Desenvolvimento da Educação (Rede) que desenvolverá metodologias, materiais pedagógicos e produtos voltados à formação dos professores nas áreas de alfabetização e linguagem, educação matemática e científica, ensino de ciências humanas e sociais, artes, educação física, gestão e avaliação da educação. A formalização dos convênios com tais instituições seria feita até o fim deste mês.

Leia mais:
Adiado o exame de certificação de professores
Manifestações marcam o 1º Encontro Nacional
Provão para professores revela desorientação do MEC